"SER CRISTÃO É TER MENTE E CORAÇÃO DE CRISTO".



sexta-feira, 21 de julho de 2017

Importa-vos Nascer de Novo

"Pastores, Presbíteros e Diáconos da IPChampagnat em Curitiba/PR".

Importa-vos Nascer de Novo
“Se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3.3).

Amados irmãos, “havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. Este, de noite, foi ter com Jesus e lhe disse: Rabi, sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não estiver com ele. A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3.1-3). Evidentemente, essa mudança que Jesus Cristo afirma ser necessária para “vermos o reino de Deus”, não é uma simples reforma de comportamento. Trata-se de uma profunda mudança na alma. É uma ressurreição do espírito. Significa passar da morte para a vida. É o surgimento de uma nova criatura com novos hábitos, desejos e esperanças. Essa mudança interior é absolutamente indispensável à salvação. A natureza humana é inteiramente decaída. Nascemos neste mundo sem qualquer inclinação natural para servir, obedecer e amar a Deus. Se deixados para satisfazer os desejos e inclinações naturais nenhum de nós buscaria a santificação. A expressão “nascer de novo descreve muito bem a transformação que todos nós carecemos para “ver” e “entrar” no reino de Deus. O novo nascimento é um ato realizado por Deus, no qual Ele regenera o coração do pecador, fazendo-o reviver. “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados” (Ef 2.1). Sem essa obra do Espírito Santo, o homem por vontade própria jamais buscaria a Deus. Nascemos mortos espiritualmente, escravizados pelo “pendor da carne”, por desejos e pensamentos contrários à Lei de Deus. “Nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência; entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza filhos da ira” (Ef 2.2,3). Todo homem precisa nascer de novo. “Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo” (Jo 3.7). Assim como o homem não é o autor da sua própria existência, ele também não pode dar vida à sua própria alma. Você já nasceu de novo?

Rev. José Oliveira Filho

Igreja Presbiteriana do Brasil no Champagnat
Rua Desembargador Otávio do Amaral, 885 – Curitiba/PR
(41) 3023-5896
Pastor Efetivo: Rev. Luiz Eduardo Pugsley Ferreira
Pastor Auxiliar: Rev. José Rodrigues de Oliveira Filho

terça-feira, 18 de julho de 2017

Reconhecendo o Santo de Deus

Reconhecendo o Santo de Deus  
"Achava-se na sinagoga um homem possesso de um espírito de demônio imundo, e bradou em alta voz: "Ah! Que temos nós contigo, Jesus Nazareno? Vieste para perder-nos? Bem sei quem és: o Santo de Deus!” (Lc 4.33,34).

Amados irmãos, os demônios creem em Deus e reconheceram ser Jesus o "Santo de Deus". Eles estavam cientes do especial relacionamento de nosso Amado Senhor com Deus Pai, bem como do Seu poder para destruir as forças do mal. Os demônios foram capazes de discernir ser Jesus o Cristo (Lc 4.41). No entanto, podemos afirmar que este conhecimento é desprovido de fé salvadora. Os demônios são miseráveis criaturas pecaminosas caracterizados pelo ódio e destinados ao inferno. Isso serve de alerta a todo ser humano que agasalha no coração este terrível sentimento. Uma possessão perigosa e muito comum entre os homens. Não são poucos os que conhecem intelectualmente a palavra de Deus, capazes de conversar fluentemente sobre alguns fundamentos da fé cristã e, apesar disso, não ter amor. Podem admitir que há um só Deus, saber que Jesus é o Cristo de Deus, dizer que Ele é o Senhor; e, mesmo assim, perecerem no inferno. "Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus" (Mt 7.21). Examine- se! O seu conhecimento de Deus tem motivado você a amá-Lo e obedecê-Lo de todo coração? Você ama a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo? "Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor" (1Jo 4.7,8)
"O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do  mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba" (1Co 13.4-8). O conhecimento de Deus não acompanhado do verdadeiro amor é inútil, servindo apenas para intensificar a condenação do seu possuidor no Juízo Final. Medita nestas coisas!
Rev. José Oliveira Filho
Igreja Presbiteriana do Brasil no Champagnat
Rua Desembargador Otávio do Amaral, 885 – Curitiba/PR
(41) 3023-5896
Pastor Efetivo: Rev. Luiz Eduardo Pugsley Ferreira
Pastor Auxiliar: Rev. José Rodrigues de Oliveira Filho

sexta-feira, 14 de julho de 2017

"Revelaste aos Pequeninos"

"Revelaste aos Pequeninos"
“Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos” (Lc 10.21). 

Amados irmãos, existem pessoas para as quais Deus ocultou os Seus mistérios; e outras, para as quais Ele as revelou. A verdade aqui ensinada por Jesus Cristo registrada por Lucas, mesmo sendo simples e evidente, não deixa de ter os seus mistérios. Ela é mais elevada que o céu dos céus; é mais profunda que o abismo dos mares. Como entendê-la? Por quê muitos homens e mulheres permanecem mortos em delitos e pecados, enquanto poucos são conduzidos à vida? Como explicar que uma minoria compreende os mistérios de Deus, enquanto uma multidão de “sábios e instruídos” encontra-se na mais completa ignorância? “Ocultaste essas coisas aos sábios e instruídos e as revelaste aos pequeninos. “Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado” (Lc 10.21). “Ninguém sabe quem é o Filho, senão o Pai; e também ninguém sabe quem é o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar” (Lc 10.22). Os que conhecem a Deus, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo - o Senhor e Salvador tem a “vida eterna” (Jo 17.3). As palavras do nosso Senhor Jesus são verdadeiras. Nós admitimos os atos soberanos de Deus sem anular a responsabilidade humana. O mesmo Deus que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade sempre lidará com os homens como seres responsáveis, cujo sangue cairá sobre suas próprias cabeças se não houver conversão, arrependimento e fé. O dia do Julgamento Final se aproxima. Enquanto houver vida e o Dia do Senhor não chegar devemos anunciar que Deus deseja a salvação de todos os homens; o Justo Juiz de toda a terra tem renovado as Suas misericórdias a cada manhã. “Buscai o SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao SENHOR, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar” (Is 55.6,7). Amém!

Rev. José Oliveira Filho

Igreja Presbiteriana do Brasil no Champagnat
Rua Desembargador Otávio do Amaral, 885 – Curitiba/PR
(41) 3023-5896
Pastor Efetivo: Rev. Luiz Eduardo Pugsley Ferreira
Pastor Auxiliar: Rev. José Rodrigues de Oliveira Filho

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Examine-se, pois, o homem a si mesmo

"Lar de Idosos Vivencial das Oliveiras"

Examine-se, pois, o homem a si mesmo  
“Examine-se, pois, o homem a si mesmo” (1Co 11.28).

Graça e Paz!
Que fruto o cristianismo que você professa tem produzido em sua alma? Um cristão autêntico, inevitavelmente, será reconhecido pelo fruto do Espírito: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio (Gl 5.22-23). Você possui esse fruto? Considere também os meios da graça de Deus: Qual o seu sentimento em relação ao Dia do Senhor? É dia de descanso e alegria por poder estar na casa de Deus, na companhia dos irmãos de fé, em louvor e adoração ao Senhor? Ou este dia está reservado ao esporte, diversão e lazer? E quanto à oração e estudo da Bíblia? São exercícios necessários à sua vida lhe proporcionando crescimento espiritual, conforto, ânimo e paz? Ou isso lhe causa tédio, canseira, enfado? Se estes meios da graça não são essenciais ao seu espírito quanto o comer e beber são indispensáveis para o seu corpo, então questione a veracidade da sua profissão de fé. Você procura fazer o bem ao próximo? Ocasiões para praticar o bem estão diante de nós. Podemos anunciar o evangelho, fazer discípulos de Cristo, demonstrar amor e solidariedade aos aflitos, visitar os enfermos e solitários“Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me” (Mt 25.35,36). Você sabe alguma coisa a respeito desse tipo de atitude? Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz nisso está pecando (Tg 4.17). Uma palavra de advertência àqueles que estão presos ao falso cristianismo: Lembre-se do perigo que você corre, isso certamente irá derrotá-lo. Ele não lhe dará o conforto necessário em tempos de aflição, e quando a morte chegar, nada além da verdade será levado em conta. Examine-se, pois, e busque a vida cristã autêntica. Amém!
Rev. José Oliveira Filho
Igreja Presbiteriana do Brasil no Champagnat
Rua Desembargador Otávio do Amaral, 885 – Curitiba/PR
(41) 3023-5896
Pastor Efetivo: Rev. Luiz Eduardo Pugsley Ferreira
Pastor Auxiliar: Rev. José Rodrigues de Oliveira Filho

sexta-feira, 7 de julho de 2017

A Verdadeira Alegria

A Verdadeira Alegria
“Estas coisas, pois, vos escrevemos para que a nossa alegria seja completa” (1Jo 1.4).

Amados irmãos, a alegria se manifesta ou se faz sentir em abundância quando estamos firmados no Senhor. A alegria do SENHOR é a nossa força (Ne 8.10). É algo maravilhoso, intenso e profundo, é algo que afeta a personalidade toda e por completo. Em outras palavras, chega a isto: existe apenas uma coisa capaz de conceder a verdadeira alegria e se trata da contemplação do Senhor Jesus Cristo. Ele satisfaz à nossa alma; Ele satisfaz às nossas emoções; Ele satisfaz a todos os nossos desejos. Ele e Sua grande salvação incluem a qualidade ou a condição de ser de uma pessoa em sua totalidade e nada menos, e somente nEle estamos completos. A verdadeira alegria é a resposta e a reação da alma ao conhecimento do Senhor Jesus Cristo. Deus o exaltou sobremaneira e Lhe deu um nome que está acima de todo o nome (Fp 2.9). Jesus Cristo é o resplendor da glória e a expressão exata do Ser de Deus (Hb 1.3). Ele é o nosso Senhor e Salvador! A alegria completa, fruto do Espírito, está em conhecê-Lo. Agrada-te do SENHOR, e ele satisfará os desejos do teu coração” (Sl 37.4). “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos (Fp 4.4). Amém!

Rev. José Oliveira Filho

Igreja Presbiteriana do Brasil no Champagnat
Rua Desembargador Otávio do Amaral, 885 – Curitiba/PR
(41) 3023-5896
Pastor Efetivo: Rev. Luiz Eduardo Pugsley Ferreira
Pastor Auxiliar: Rev. José Rodrigues de Oliveira Filho